Últimos assuntos
» Registro de Photoplayer, Unissex
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptySex Dez 04, 2015 4:18 pm por Ian A. Stewart

»  Promoção de Indicação
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptySeg Nov 30, 2015 3:12 am por Dandara Schoemberger

» [FP] Skandar Lothbrok, Ragnar
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptySeg Nov 30, 2015 12:19 am por Obliviate

»  Teste de Templates, Assinaturas e Avatares
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptyDom Nov 29, 2015 11:11 pm por Mary Aurora Chassagnac

» Bosque St. Catchpole
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptySab Nov 28, 2015 10:28 pm por Jade H. Rahlstöm

» O Último a Postar Ganha
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptySex Nov 27, 2015 3:30 am por Barnabás Wiliamson Black

» Registro de Patrono
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptyQui Nov 26, 2015 11:19 pm por Cruciatus

» Vagas, Traders
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptyQui Nov 26, 2015 8:27 pm por The Author

» Sistema de Famílias
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptyQua Nov 25, 2015 2:59 pm por Frederick Møesch Heylmann

» Maratona de Posts, Promoção
[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar EmptyTer Nov 24, 2015 10:43 pm por The Author

Estatísticas
Temos 169 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de Isabella G. Fields

Os nossos membros postaram um total de 1103 mensagens em 559 assuntos

[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar Empty [FP] Skandar Lothbrok, Ragnar

Mensagem por Ragnar S. Lothbrok em Sex Nov 27, 2015 2:49 pm

Ragnar S. Lothbrok
Escama de Sereiano, 24 cm, Nogueira-Negra

História

Um garoto rodeado de discórdia desde pequeno. Duas pessoas, duas famílias, uma briga. A família de sua mãe era pura. Todos seus ancestrais carregavam em suas veias o tão famoso sangue puro, e desprezavam aqueles sangue sujos, os tais mestiços. Seu pai? Vinha de uma família rica porém mestiça. Sua mãe era humana enquanto o era bruxo. Este simples detalhe fez com que o relacionamento entre essas duas famílias entrassem em guerra, e ao meio desta guerra duas pessoas lutavam, por uma causa, por um sentimento, por um amor.

Essas duas famílias se guerreavam a mais de anos, e foi essa guerra que aproximou ambos. Do ódio que eles nutriam um pelo outro o amor se formou. A forma como se tratavam foi mudando aos poucos, eles se negavam a acreditar que aquilo estava acontecendo, como Lucy e Brayner   poderiam se apaixonar um pelo outro, estando em constante guerra e conflito? A rejeição não durou muito tempo, pois o sentimento estava acima de tudo, e o medo que tinham de suas famílias não era o suficiente para para-los.

O sentimento levou ao descuido. Lucy carregava dentro de si o bebê de um mestiço. Dentro da família de Lucy, havia uma clarividente e essa gravidez foi vista por ela, então esconder não foi uma opção. Essa mesma mulher que preverá o futuro do surgimento dessa cria, previu que essa criança traria a destruição para ambas as famílias. Claro os pais não acreditaram. Mas os familiares? Se assustaram. O medo fora maior que o ódio que essas duas famílias nutriam uma pela outra, pois desde essa previsão se encarregaram de tirar a vida da criança que jazia dentro de Lucy.

Com medo Brayner e sua esposa deixou suas casas. Foram para o mais longe possível, se é que isso era possível. A vida deles se tornaram um inferno desde então, pois desde esse dia não conseguiram se fixar em um lugar. Sempre que encontravam uma casa que podiam chamar de lar seus familiares os encontravam tirando suas esperanças.

Foi em uma noite de lua cheia que a criança nasceu. Em um hospital público Brayner esperava do lado de fora havia mais de 5 horas. O parto estava sendo difícil, e nenhum dos médicos conseguiam entender o porquê. Claro que meros trouxas não saberiam a causa dessa dor, pois essa dor vinha de uma fonte que eles desconheciam, a magia. Brayner demorou até pensar nessa hipótese, pois já havia meses que eles não o encontravam, mas pelo visto eles não precisavam mais de contato para ferir a Lucy e seu filho. Colocando-se dentro do quarto o protetor daquela família, criou uma barreira em volta de todos presentes, uma barreira que a magia que estava afetando sua esposa não pode penetrar. Para os trouxas, a presença do marido da paciente que a acalmara. Mas seus olhos não viam o choque de magias que aconteciam ao redor deles. Protegidos os médicos conseguiram trabalhar e realizar o parto da melhor maneira possível. Raganar S. Lothbrok nascera.

Tudo desde então mudou, pois as duas famílias foram chamadas em conjuntas para conhecer o novo membro da família. Ao verem os traços angelicais daquele bebe, a guerra entre eles acabaram. Mas não por muito tempo. Agora uma nova guerra se instala com um novo objetivo, a criação de Ragnar. Os Skandar, familia de Lucy, os puros o rodeava sempre que possível na infância para colocar na cabeça deste seus ideais e os costumes dos sangue puro.  Já os Lothbrok família dos mestiços, o rodeou com gentileza e bondade.

Ele foi crescendo e sua personalidade fora se formando. Ele conseguiu aderir qualidades de ambas as famílias, conseguia ser bondoso, mas ao mesmo tempo frio.

E aos 10 anos Cody descobrira seus poderes. Fora em uma viagem em família, aonde Skandar e Lothbrok estavam todos juntos. Uma roda se formou em volta do garoto, este era sempre o centro das atenções para aquela família, eles o viam como um troféu, um troféu que queriam exclusivamente para sua família. Ele já estava de saco cheio de todo mundo, ele queria ficar sozinho pelo menso uma vez na sua vida, e esse desejo trouxe sua magia pela primeira vez na terra. Um campo de força se formou a sua volta sem que ele notasse empurrando todos para longe de si. Esse campo fora seguido pelo seu grito de raiva. Todos presentes o fitaram com respeito, Ragnar era um bruxo.


Personalidade

É uma pessoa séria e decisiva, embora ele seja facilmente irritado e é bastante temperamental, muitas vezes a uma falha. Ele fica muito chateado por conta da imaturidade e perguntas idiotas de algumas pessoas se irritandando facilmente mesmo não sendo sua intenção. Ele é mais frequentemente irritado com o comportamento de pessoas brincalhonas e que não leva nada a sério, um bom convívio é quase impossível de se criar se aquele que estiver ao seu lado possuir tal personalidade. Seu comportamento agressivo é particularmente visível em combate. Em um ponto, ele confessa que não é maduro o suficiente para segurar, mesmo contra uma criança. Apesar disso, Ragnar é, por vezes, uma pessoa sensível, apesar de suas tentativas de ser gentil muitas vezes são compensadas por sua agressividade.

Tem seu próprio tempo, seu próprio sonho e jamais esquece para fazer alguém feliz, seja ele por interesse romântico ou não. Nunca revela que está realmente interessado em uma pessoa, se está a negação sempre estará presente, negando que a admira e a suporta, deixando assim seu lado agressivo tomar conta da personalidade no momento para não admitir o afeto e nem deixar com que essa pessoa se torne intima de mais. Confiante em relação aos seus gostos e desgostos – atraindo geralmente pessoas da mesma mentalidade que este carrega.

Existe primariamente para se fazer feliz – os outros são secundários. Tendo sua própria vida e sua própria pessoa como prioridade. Trata-se como sendo importante, outras pessoas, incluindo pessoas de personalidade fracas, o verão como alguém vital. Atraindo olhares desejados que o vê como um homem decidido e importante. Uma faceta confiante não é apresentada em seu rosto– o que o torna mais interessante e sexy. Em vez disso, ele carrega uma expressão genuinamente relaxada – age da mesma maneira, independentemente de estar sozinho ou dentro de um local lotado.

Um verdadeiro bad-boy sendo honesto acima de tudo. Se ele gosta mesmo de uma pessoa ele demonstrará isso a ela, não deixando com que sua personalidade agressiva torne a mais presente. Como um bad boy sabe quando alguém está afim dele e não tem problemas em demonstrar isso à essa pessoa não escondendo desde o princípio suas verdadeiras intenções.


Chapéu Seletor

- Ragnar S. Lothbrok - Chamou a vice-diretora tirando o primeiro anista de seus desvaneio.

Desde que chegara ao castelo ele não conseguiu focar em anda, tudo ao seu redor o fascinara. Ele conhecia aquelas paredes e aquela estrutura pelas falas de seus pais e seus familiares. Mas vê-las de perto despertara um sentimento novo no garoto, um sentimento que não havia sentido até aquela data. Ele estava em casa.  

Seu semblante estava sereno quando passou pelas pessoas indo em direção ao banco aonde seria selecionado por um chapéu, sim um chapéu falante. Ele achou aquilo fascinante, como aquele simples objeto poderia decidir a vida de uma criança pelo resto de suas vidas apenas enviando-o para uma das casas? E essa ideia o atormentara desde que soubera que a família de sua mãe, sangue puros eram todos da sonserina. Enquanto a de seu pai se dividia em grifinoria e lufa-lufa. Ragnar sempre acharam os Skandar muito frios e egocêntricos, essa ideia deles de sangue puro o incomodava, o que isso importava? Mesmo mestiço eles eram bruxos.

- Entre os bruxos de sua idade, o que você acha que há de diferente em você? Acha que isto é algo bom ou ruim? - Perguntou o chapéu trazendo Ragnar a realidade.

- Não conheço a historia de nenhum desses garotos para saber qual é a nossa diferença. Mas se há algo que eu tenho certeza de que sou diferente é meu poder de escolha. Fui criado por duas famílias com costumes diferentes. Ambas me bombardearam com conhecimentos e ética, muito delas se contradizendo. Tive que absorver tudo aquilo e decidir o que era certo ou errado. - Respondeu.

Ao andar pelos corredores de Hogwarts após sair deste salão, o que você pretende encontrar por estas paredes de pedra?

- Procuro o que nunca tive na vida, segurança e estabilidade. Atrás dessa paredes espero encontrar amigos que me façam diferença, como em pessoa. Quero crescer, quero evoluir.  

Se pudesse ter três coisas dentre fama, poder e dinheiro, qual dessas escolheria? Por que acha que esta escolha iria lhe trazer mais felicidade?

- Dinheiro. Entre essas três seria o dinheiro é o menos perigoso, pois fama e poder não viriam sozinhas, trariam consigo a inveja e o julgamento. Não quero ser rodeado por pessoas desse tipo, e não quero que a fama e o poder me suba a cabeça.

Caso surgisse um novo Lord das Trevas e seus amigos se juntassem para combatê-lo, mas sua família se aliasse a ele, de qual lado você ficaria?

- Escolheria o lado que eu achasse certo.

Se descreva usando apenas palavras que tenham mais de sete letras. Por que as escolheu?

- Determinado e sincero, sou uma pessoa determinada e não desisto daquilo que quero até conseguir. A sinceridade pra mim é essencial, terão aqueles que me acharam grosseiros por falar o que penso, mas será minha ética a impedir que eu minta só para fazer o outro melhor.  

Supondo que após a este dia você tivesse a oportunidade de ganhar fama, poder e dinheiro, mas com isso não poderia mais usar magia na vida, aceitaria esta proposta?

- Não, pois com magia eu poderia se quisesse ter  fama, poder e dinheiro.


Aluno
12 Anos
Bissexual
Americano

Voltar ao Topo Ir em baixo

[FP] Skandar Lothbrok, Ragnar Empty Re: [FP] Skandar Lothbrok, Ragnar

Mensagem por Obliviate em Seg Nov 30, 2015 12:19 am

Wellcome To Ravenclaw!
"Or yet in wise old Ravenclaw, If you've a ready mind, Where those of wit and learning, Will always find their kind."

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum